Arquivo de Fevereiro, 2011


(Paulo Roberto Barbosa)

“O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará.” Salmos 23:1

Três palavras com a letra “r” que são muito importantes para nossa vida espiritual: repousar, revigorar e renunciar. A primeira nos convida a descansar nos braços do Senhor; a segunda nos estimula a buscar forças no Senhor para vencer todos os obstáculos do caminho; a terceira nos ensina que ao deixar de lado os nossos próprios interesses, desfrutaremos de tudo de bom que o nosso Deus deseja nos dar.

É maravilhoso quando repousamos à sombra do Onipotente. Nos braços do Senhor encontramos a paz verdadeira, a serenidade de Sua presença, a tranquilidade no meio de tormentas. Por que vivermos em angústia e tribulação se Deus, nosso amado Pastor, nos conduz mansamente a águas tranquilas? Por que correr de um lado para outro, inquietos, se sabemos que Jesus nos prometeu pastos verdejantes para viver?

Igualmente nos conforta o coração saber que, quando nos sentimos fracos e desanimados, o Senhor restaura as nossas forças, revigora a nossa fé, faz renascer a nossa esperança. Ele nos reveste de energia
e nos impulsiona a crer que a vitória logo será alcançada.

Se aprendemos a abrir mão daquilo que pensamos ter e daquilo que julgamos ser capazes, entregando a direção de nossos passos ao Deus Todo Poderoso, os erros diminuirão, os fracassos desaparecerão e a
tristeza cederá lugar à plenitude de felicidade.

Apenas três palavras e uma vida espiritual abençoada e abundante diante de Deus. Três palavras que nos ajudam a estar diante do altar do Senhor e a obedecer à Sua vontade. Três palavras que iluminarão a nossa vida e mostrarão o que seja um verdadeiro Cristianismo.

Você gostaria de colocar em prática essas três palavras? Comece agora mesmo e a sua vida será muito mais abençoada.

Fonte: www.iluminalma.com.
Vamos espalhar as Boas Novas!

Tudo Vai Bem!

Posted: 07/02/2011 in Edificando Gerações

“E ela disse: Tudo vai bem” (2 Reis 4:23).

Um homem de negócios, cristão, após sofrer grandes perdas, sentiu-se tentado a duvidar das coisas de Deus. “Por que Ele permitiu que todos esses contratempos me sobreviessem?”
questionou ele. Uma noite, ele estava sentado diante da lareira, abatido e desencorajado, quando seu filho, de seis anos de idade, veio e se sentou em seu colo. O menino pregou
um cartão no casaco do pai onde se lia: “As obras de Deus são perfeitas”. “Papai, o que significa perfeitas?” perguntou o filho. Antes do pai poder responder, ele continuou, “significa que Deus nunca comete erros?” Aquilo era tudo que o pai precisava ouvir. Abraçando carinhosamente o filho, o pai disse: “Sim, querido, é isso que quer dizer.”

Até que ponto cremos, verdadeiramente, que Deus nos ama e tem o melhor desta terra para nos dar? Temos confiado plenamente nele somente quando tudo vai bem ou ao primeiro
sinal de dificuldades abandonamos a fé e corremos para lugares incertos? Costumamos louvar a Deus apenas quando vivemos a abundância de Suas bênçãos ou continuamos adorando-O também nos momentos de escassez?

A palavra de nosso verso inicial foi proferida por uma mulher que acabara de deixar seu filho em casa, morto. Estava aflita, angustiada, desesperada, porém, procurou o homem de Deus. Ela confiava no Deus daquele homem. Saiu de casa deixando o filho morto mas, em seu coração, ainda alimentava a esperança de voltar e encontrá-lo vivo.

E, se hoje as nossas finanças vão mal… amanhã tudo poderá ser diferente. Se nos sentimos fracos e desalentados… amanhã poderemos estar com as forças revigoradas. Se nos
sentimos em meio a uma tempestade espiritual, sob raios e trovões… amanhã o sol poderá estar brilhando novamente sobre nós.

Como está a sua situação hoje? Mesmo que tudo pareça mal… creia em Deus e responda: “Tudo Vai Bem!”